• A descoberta...

  • As marcas do tempo...

  • Um mundo por descobrir...

  • Formações duma beleza ímpar...

  • Luz...

biologia na noite  

A conferência de Pedro Oromi, da Universidad La Laguna, em Tenerife, a 6 de Junho, às 21h30, no auditório do Centro de Cultural e de Congressos de Aveiro, será a penúltima do ciclo «Biologia na Noite». Nesta edição, assinalam-se dez anos desta iniciativa promovida pelo Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro.

Pedro Oromi, um dos maiores especialistas mundiais em Bioespeleologia, apresentará um catálogo da diversidade e das peculiaridades da fauna das cavernas e grutas e avançará tópicos conclusivos sobre os possíveis modelos evolutivos aplicáveis a estas espécies, à luz de resultados obtidos em estudos filogenéticos e filogeográficos com a ajuda de análises de DNA.

http://uaonline.ua.pt/detail.asp?c=20865&lg=pt

Está disponível no site do International Journal of Speleology, a primeira revisão de fundo sobre a fauna cavernícola de Portugal de Sofia Reboleira.

http://www.ijs.speleo.it/pdf/74.606.40%281%29_Reboleira.et.al.pdf

 

O Museu Valenciano de História Natural promove a organização do I Encontro Ibérico de Biologia Subterrânea, em Valência (Espanha), de 10 a 12 de Julho de 2009.

A Federação Portuguesa de Espeleologia associa-se à organização deste evento, que contará com a presença dos mais prestigiados investigadores na área da Bioespeleologia Ibérica, Macaronésica e Balear.

O evento está vocacionado para a comunidade científica que estuda a Biologia Subterrânea no âmbito Ibérico, mas é também aberto a todos os espeleólogos interessados nas temáticas da Bioespeleologia e conservação do património espeleológico.

É para todos evidente que este ano está a haver um prolongamento do inverno, com o frio e a chuva intensa a marcarem presença ainda nos próximos tempos.

No que aos morcegos diz respeito, esta situação estará a causar problemas de alimentação, não só pela escassez de alimento, mas também pelas grandes dificuldades em sairem dos abrigos para se alimentarem. Para além disso, as espécies que capturam os insectos do chão como o caso do morcego-rato-grande (Myotis myotis), têm dificuldades acrescidas em o fazer (a erva está demasiado alta para isso). Ou seja, quando o normal seria os morcegos estarem a "engordar", o mais certo é estarem a consumir as poucas reservas que ainda lhes restam do período de hibernação, situação que os torna ainda mais frágeis nesta altura.

Assim, apelamos a que respeitem não só os normais períodos de interdição dos principais abrigos, mas que tenham também particular atenção aos abrigos de hibernação (que poderão ainda conter as colónias desse período) e a outras cavidades que possam neste momento ter colónias, evitando ao máximo as visitas e a sua perturbação, enquanto as condições climáticas não melhorarem.

A Comissão Científica, em articulação com a Direcção da Federação Portuguesa de Espeleologia, decidiram atribuir uma vez mais o prémio de mérito científico espeleológico, decorrente da oportunidade criada pela realização das I Jornadas Quiropterianas – Sintra 2011.

Os critérios utilizados nesta atribuição foram:

1 – Promoção de actividades no âmbito da monitorização, divulgação e salvaguarda dos morcegos, com envolvimento transversal a toda a comunidade espeleológica nacional, motivando-a para a orientação da sua actividade exploratória como suporte à ciência e aos projectos de investigação.

2 - Capacidade de viabilizar, planear e organizar através da actividade espeleológica, acções de mais valia e suporte científico, envolvendo os espeleólogos e utilizando as suas técnicas como ferramentas facilitadoras da obtenção de resultados.

3- Disponibilidade demonstrada em desenvolver, participar e/ou coordenar acções ou actividades que pela sua natureza ou cariz científico, constituam uma mais valia importante para a imagem e prestígio da Espeleologia de que se destaca a coordenação do plano Nacional para a Monitorização de Morcegos Cavernícolas.

Assim, a Comissão Científica da FPE – Federação Portuguesa de Espeleologia, decidiu atribuir este Prémio de Mérito Científico Espeleológico a:

Pedro Alves (espeleólogo do GPS, Coordenador do Grupo Temático para os Quiropteros da FPE)

premio_de_merito_cientfico

Login


Fédération Séléologique Européenne
Union Internationale de Spéléologie